Santa Felicidade

Salvaguarda da memória do bairro de Santa Felicidade e busca de novos caminhos de crescimento sustentável, melhorando a qualidade de vida local com criatividade.

 

Propostas

Tornar Santa Felicidade mais segura e saudável por meio do Design

Uma região mais segura, por meio do Design Urbano, pode não apenas melhorar a qualidade de vida, mas principalmente salvar vidas. Trata-se de desenvolver e multiplicar ambientes favoráveis à caminhada, à pedalada e ao uso de um transporte público eficiente. Isto tem como resultado direto a qualidade de vida dos cidadãos, seja pela atividade física ou pela redução da emissão de poluentes, bem como o maior desenvolvimento econômico pelo fomento de atividades comerciais ao nível da rua. As setores de comércio na Regional precisam ter mais pedestres caminhando.

Proposta: buscarei instrumentos e políticas que, por meio de soluções simples e práticas, possam tornar a região mais ativa, incentivando a redução da necessidade dos automóveis, a ampliação das vias calmas e ilhas de refúgio ao pedestre, a melhoria urgente das calçadas e da sinalização para o pedestre, a ampliação inteligente de mobiliário voltado ao ciclista e a melhoria do transporte público, buscando um nível de excelência do serviço ao cidadão.


Tornar Santa Felicidade mais acessível

Já existem instrumentos que determinam as necessidade urgente de tornar as cidades brasileiras totalmente acessíveis. Neste caso, meu foco será o de fiscalização.

Proposta: fazer valer, de maneira imediata, os direitos do cidadão ao Design universal, previsto no Decreto Presidencial 5.296/2004 e contemplados na NBR 9050/ABNT, compreendendo o Design como elemento estruturante dos processos de Planejamento e Projeto Urbano.


Internet livre e terminais de energia no eixo gastronômico

O conforto ao turista prevê o acesso fácil a internet e a meios de carregar seus aparelhos celulares. Isto estimulará a exposição da região nas redes sociais e aumentará o tempo de permanência dos turistas, com consequente aumento no consumo.

Proposta: buscarei e criarei instrumentos com o objetivo de reverter esta situação, disponibilizando internet gratuita e a implantação de terminais de energia no eixo gastronômico.


Implantação de Coworking Público na Regional

Quem disse que ideias só podem nascer nas áreas mais “privilegiadas” da cidade? Os coworkings tem se mostrado espaços importantes no desenvolvimento de novas ideias e negócios, principalmente pela sua característica de colaboração e cooperação. Dentro desta lógica, é imprescindível que existam espaços públicos com a mesma capacidade de dar infraestrutura a estes micro negócios.

Proposta: Buscarei e criarei instrumentos para viabilizar a implantação de ao menos um Coworking Público na Regional.


Estímulo ao Turismo Criativo em Santa Felicidade

O Turismo Criativo é a viagem direcionada para uma experiência autêntica e engajada, com aprendizagem participativa em artes, cultura, patrimônio histórico ou uma característica especial do lugar.

Ele deve proporcionar uma conexão com aqueles que residem nesse lugar e que criam essa cultura viva. É inegável o potencial turístico que Santa Felicidade possui nesta área, mas é necessário estabelecer ferramentas e instrumentos para que a iniciativa favoreça os empreendedores criativos e a própria região.

Proposta: minha proposta é a de buscar e desenvolver estes instrumentos estabelecendo parcerias positivas e agregadoras entre secretarias e órgãos públicos (Fundação Cultural de Curitiba, Agência Curitiba, Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba, Instituto Municipal de Turismo de Curitiba) associações (ACISF, Abrasel, Curitiba Convention and Visitours Bureau entre outros) e movimentos da sociedade civil como coletivos, pontos de cultura, espaços culturais e empreendedores criativos.


Regulação e Implantação do Distrito Criativo de Santa Felicidade

Os Distritos Criativos são áreas (clusters) da cidade que possuem forte influência da Economia Criativa, da Economia do Conhecimento e da Economia da Experiência. O objetivo dos Distritos é a valorização dos setores criativos nucleares.

São eles: patrimônio cultural e natural, espetáculos e celebrações, artes visuais e artesanato, livros e periódicos, audiovisual e mídia interativas, design e serviços criativos. Assim, convivem em um mesmo território, locais de moradia, trabalho, educação, lazer, patrimônio histórico e espaços verdes.

Trata-se de uma opção ao conceito tradicional de zoneamento urbano que separa funções diferentes para áreas da cidade. Nestes espaços se produz e distribui bens econômicos que possuem natureza simbólica e que ofereçam ao consumidor uma experiência física, sensorial ou emocional. Este conceito possui total relevância com Santa Felicidade, fortalecendo outras atividades além da gastronômica.

Devemos aproveitar o fluxo voltado aos restaurantes e vinícolas, para o desenvolvimento de outras atividades econômicas.

Proposta: o atual plano diretor contempla a criação de Áreas de Proteção Cultural e Unidades de Interesse Cultural. Neste sentido, meu trabalho será na busca de instrumentos para a implantação de um Distrito Criativo em na Regional de Santa Felicidade, trabalhando a cultura alimentar, música, artes visuais, moda, dança, etnia e design de mobiliário.


Melhoria dos empreendimentos na Regional por meio do Design

Agregar valor aos produtos e serviços dos micro e pequenos empreendedores locais, por meio da inserção do Design, da Inovação e da Sustentabilidade. Esta é uma tarefa que pode ser realizada de maneira simples, principalmente pela grande capacidade produtiva de Design em Curitiba.

Temos um grande produção acadêmica que pode ser voltada para os micro e pequenos empreendedores, trazendo inovação para seus produtos e serviços, e colocando-os em igualdade de competição com empresas maiores. Além disso, na outra ponta, temos o incentivo à novos negócios de Design, fomentados pela prestação de serviços.

Proposta: buscarei instrumentos para a criação de espaço de consultoria na Regional, com profissionais de Design, para micro e pequenos empreendedores locais, bem como a busca de incentivos fiscais para empresas que adotem o Design como estratégia de negócio.


Salvaguarda da memória e Casa do Imigrante

Como um filho de Santa Felicidade, pude ver o bairro, e posteriormente a Regional, crescerem sobremaneira nos últimos 40 anos. Este crescimento possui vários aspectos positivos, mas também traz retornos negativos.

Um deles é a consequente perda das tradições, memória e cultura original local. E um povo que não consegue preservar bem seu passado, terá dificuldades em determinar seu futuro. Assim, precisamos de atitudes urgentes que visem reverter este quadro, demonstrando às novas gerações e àqueles que escolheram Santa Felicidade como lar, toda a história e cultura desta região.

Proposta: fazer valer o cumprimento da recente Lei de Proteção ao Patrimônio Cultural de Curitiba (14.794/2016), bem como buscar instrumentos para a implantação de uma Casa voltada à memória do imigrante.


Retorno de Festas de Rua

Uma das formas de aumentar a segurança do bairro, é justamente por meio da ocupação pelo cidadão. E neste sentido, as festas populares, aliadas a atrações culturais, são um dos melhores caminhos para fazer com que as ruas de Santa Felicidade voltem a ser utilizadas em sua totalidade.

Uma das festas mais importantes neste sentido foi o 4 Giorni In Italia, da qual tive o prazer de participar tanto na comercialização de alimentos com minha família, como de atividades culturais. A festa que iniciou em 1987 fechava aos automóveis parte do fluxo da Avenida Manoel Ribas.

Exemplos como este são vistos por várias cidades ao redor do mundo, onde a caminhada e o pedestre são priorizados, aumentando o consumo do comércio local e gerando uma perspectiva de uso saudável da região.

Proposta: junto ao cidadãos de Santa Felicidade, às Associações de Moradores e a ACISF, analisar e planejar atividades de rua, buscando posteriormente instrumentos para a implantação dos possíveis eventos.


Implantação do Passeie em Santa!

É impensável que ainda não tenhamos roteiros turísticos para serem realizados em Santa Felicidade, explorando não apenas o comércio da Avenida Manoel Ribas, mas outros pontos de interesse turístico (cultural, ambiental, economia criativa).

Neste sentido, nada mais simples do que o desenvolvimento de um programa de incentivo à visitação destes espaços, preferencialmente por meio de caminhada ou utilizando a bicicleta como meio de transporte.

Proposta: minha proposta é a de buscar e desenvolver instrumentos que tenham como objetivo o desenvolvimento dos roteiros turísticos, estabelecendo parcerias positivas e agregadoras entre secretarias e órgãos públicos (Fundação Cultural de Curitiba, Agência Curitiba, Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba, Instituto Municipal de Turismo de Curitiba) associações (ACISF, Abrasel, Curitiba Convention and Visitours Bureau entre outros) e movimentos da sociedade civil.

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *