Economia Criativa

Fortalecimento dos Fóruns Setoriais e estímulo aos empreendimentos criativos, fomentando novos negócios e respeitando as culturas locais.

Propostas

Fortalecimento dos Fóruns Setoriais Municipais

Os Fóruns Setoriais se demonstraram um importante instrumento de democracia participativa, funcionando como interlocutores entre a sociedade civil e o poder público.

Proposta: minha tarefa será a de apoiar suas ações e seus Planos Setoriais, batalhando pela garantia de sua continuidade, fazendo com que tornem-se ainda mais legítimos. Realizarei o papel de interlocução entre os Fóruns e o legislativo municipal, defendendo a aplicação dos Planos Setoriais e a fiscalização da execução das ações previstas.


Estímulo à Economia Criativa, Verde, Colaborativa, Solidária e Sustentável

A Economia Criativa poderá assumir seu papel de destaque na próxima gestão. Hoje Curitiba já dispõe de cerca de 22 mil estabelecimentos criativos, sendo que 25% encontram-se na Regional Matriz.

Proposta: buscarei instrumentos que visem o estímulo à criatividade e inovação, fortalecendo e ampliando a participação da Economia Horizontal na economia do município, com foco na descentralização e no respeito às regionalidades locais. Entre eles, incentivos fiscais e a menor burocracia para a instalação de novos empreendimentos.


Implantação de Coworkings Públicos em cada uma das Regionais de Curitiba

Quem disse que ideias só podem nascer nas áreas mais “privilegiadas” da cidade? Os coworkings tem se mostrado espaços importantes no desenvolvimento de novas ideias e negócios, principalmente pela sua característica de colaboração e cooperação. Dentro desta lógica, é imprescindível que existam espaços públicos com a mesma capacidade de dar infraestrutura a estes micro negócios.

Proposta: buscarei e criarei instrumentos para viabilizar a implantação dos Coworkings Públicos nas Regionais.


Transformação de espaços abandonados ou vazios em Usinas de Produção Criativa

A ideia é a de transformar espaços abandonados ou vazios (que estejam sob posse do município) em “Usinas de Produção Criativa”, visando a geração de novos negócios e empreendimentos criativos. Isto se daria por meio de parcerias público-privadas e teria como principal foco, os jovens. As “usinas” teriam infraestrutura para o desenvolvimento de atividades artístico-culturais, tornando-se espaços para a produção criativa funcional autoral, assim como para a fruição destes bens culturais. Além da geração de arrecadação pelo consumo, os usuários ainda teriam como pagamento pelo uso do espaço, contrapartidas sociais.

Proposta: minha proposta é a de estabelecer instrumentos legislativos que possam permitir esta iniciativa.


Estímulo ao Turismo Criativo em Curitiba

O Turismo Criativo é a viagem direcionada para uma experiência autêntica e engajada, com aprendizagem participativa em artes, cultura, patrimônio histórico ou uma característica especial do lugar. Ele deve proporcionar uma conexão com aqueles que residem nesse lugar e que criam essa cultura viva. Curitiba possui um grande potencial turístico nesta área, mas é necessário estabelecer ferramentas e instrumentos para que a iniciativa favoreça os empreendedores criativos e o próprio município.

Proposta: minha proposta é a de buscar e desenvolver estes instrumentos estabelecendo parcerias positivas e agregadoras entre secretarias e órgãos públicos (Fundação Cultural de Curitiba, Agência Curitiba, Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba, Instituto Municipal de Turismo de Curitiba) associações (Abrasel, Curitiba Convention and Visitours Bureau entre outros) e movimentos da sociedade civil como coletivos, pontos de cultura, espaços culturais e empreendedores criativos.


Regulação e Implantação de Distritos Criativos

Os Distritos Criativos são áreas (clusters) da cidade que possuem forte influência da Economia Criativa, da Economia do Conhecimento e da Economia da Experiência. O objetivo dos Distritos é a valorização dos setores criativos nucleares. São eles: patrimônio cultural e natural, espetáculos e celebrações, artes visuais e artesanato, livros e periódicos, audiovisual e mídia interativas, design e serviços criativos. Assim, convivem em um mesmo território, locais de moradia, trabalho, educação, lazer, patrimônio histórico e espaços verdes.

Trata-se de uma opção ao conceito tradicional de zoneamento urbano que separa funções diferentes para áreas da cidade. Nestes espaços se produz e distribui bens econômicos que possuem natureza simbólica e que ofereçam ao consumidor uma experiência física, sensorial ou emocional. A proposta busca também revitalizar áreas desvalorizadas e abandonadas, ajudando no desenvolvimento de sua região por meio dos empreendimentos criativos. O atual plano diretor contempla a criação de Áreas de Proteção Cultural e Unidades de Interesse Cultural.

Proposta: meu trabalho será na busca de instrumentos para a implantação de dois Distritos Criativos em Curitiba. Um na Regional Matriz, aproveitando as culturas e artes regionais: design, moda, arquitetura, publicidade, ilustração, fotografia, artes visuais, cultura alimentar, artesanato, teatro, audiovisual e cultura sustentável. O outro na Regional de Santa Felicidade, trabalhando a cultura alimentar, música, artes visuais, moda, dança e etnia.

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *